Cobertura no mercado de ações - proteção de investimentos

6 minuto(s)

O que é hedging (cobertura)?

A regra n.º1 do lendário investidor Warren Buffet diz: "Nunca perca dinheiro". E a regra n.º2 diz: "Nunca se esqueça da regra n.º1". Investidores de longo prazo e bem-sucedidos percebem que proteger os seus lucros atuais costuma ser muito mais importante do que gerar lucros futuros.

E é aqui que o hedge entra em jogo. A cobertura é uma técnica de investimento usada para limitar o risco de alterações de preço que nos forem desfavoráveis, por exemplo preços das ações, por meio de transações opostas nos derivados. Ao contrário da maioria das técnicas de investimento, o hedge não tem por objetivo gerar lucros, mas reduzir perdas.

Talvez pareça um pouco confuso, mas na prática esta técnica é muito popular entre os investidores e de fácil aplicação.

CFD como instrumento de cobertura de transações

Neste texto, focaremos principalmente a cobertura no mercado de ações, que consiste em garantir os preços das ações por meio da venda de contratos por diferença (CFDs). Esses contratos são escolhidos por um motivo: pela sua inegável vantagem sobre outros derivados, graças à disponibilidade e à alta flexibilidade em termos de seleção do volume que queremos transacionar. Além disso, os CFDs estão disponíveis para uma grande diversidade de instrumentos de base (até à data da publicação deste texto, existiam 1678 CFDs para ações disponíveis na XTB e 42 CFDs para índices de ações), algo que facilita a proteção tanto de posições individuais como de portfólios inteiros de ações.

Deve-se notar também que os CFDs são instrumentos alavancados, portanto a exposição ao capital necessária para abrir e manter a transação de cobertura é menor. Tendo isto em vista, os CFDs podem ser uma ferramenta útil para reduzir o risco em condições de incerteza nos mercados.

Vamos supor que um investidor possui ações de uma empresa e deseja proteger-se contra uma descida repentina do seu preço. Portanto, o investidor vende um CFD sobre as ações da empresa pelo mesmo valor nominal. Em tal situação, desde que o investidor tenha uma posição aberta, a volatilidade nos preços das ações desta empresa não afetará o portfólio do investidor. Isso acontece porque a cada redução do valor da ação, a posição de venda (posição curta) sobe (e vice-versa), e o investidor não perde os benefícios de deter um determinado valor mobiliário (dividendos, direitos de voto numa empresa).

Se tivermos ações de uma dúzia de empresas e desejarmos proteger-nos contra a queda do valor dessas ações, a sua venda e resgate subsequente podem ser problemáticos. Para cobrir esse portfólio, podemos abrir posições curtas CFDs de cada ação, mas também vale a pena considerar uma posição curta num CFD com base em todo o índice. Assim, reduzimos significativamente os custos de cobertura, uma vez que pagamos uma comissão de abertura apenas para uma e não para várias posições. Também é digno de nota que a alavancagem de CFDs baseadas em índices (máximo de 1:20) é frequentemente maior do que a alavancagem de CFDs baseada em ações individuais (máximo de 1:5)

Ao fazer hedge de ações, especialmente com CFDs no índice, a seleção de um volume adequado de transações é muito importante, e é por isso que gostaríamos de analisar alguns exemplos.

Exemplo 1

Vamos examinar um caso em que o investidor possui no seu portfólio ações de quatro grandes empresas alemãs do índice DAX30:

O valor atual do portefólio é de cerca de 50.000 euros. Como mencionámos acima, este é um caso em que o investidor não deseja vender as ações, mas sim proteger-se da incerteza do mercado. Um CFD no índice DAX, ou seja, o instrumento DE30 disponível na XTB, pode ser aqui usado para a cobertura. No aspecto principal, ou seja, na seleção do volume de transações de cobertura, somos apoiados pela calculadora disponível na plataforma xStation 5, que já nos faz a maioria dos cálculos.

Fonte: xStation 5

Como vemos na janela anterior, a posição que deve limitar o risco terá um valor nominal de 50.494€, e o volume necessário para abrir uma transação desse tipo é de 0,16 lotes. Note-se que, para manter tal posição, precisamos de um depósito de margem no valor de apenas 2524,70€, e seu custo é de apenas uma comissão de 3,60€ para a abertura da transação.

Exemplo 2

Só para ter a certeza, vamos examinar também o mesmo caso para um portfólio de empresas de tecnologia dos EUA:

O valor das ações neste portfólio é de cerca de 25.000$. Todas as empresas acima são integrantes do índice NASDAQ, portanto, para a transação de hedge, podemos usar um CFD nesse índice. Na xStation, aparece com o nome de US100.

Para os cálculos, novamente usaremos a calculadora incorporada na xStation:

Fonte: xStation 5

Como vimos acima, a posição de hedge terá um valor nominal de 24.643,94$, e o volume necessário para abrir essa transação é de 0,16 lotes. Neste exemplo, para manter essa posição, precisamos de um depósito de margem no valor de apenas 1232,20$, e seu custo é uma comissão de 3,20$ para a abertura da transação.

Cobertura de moedas

Também vale mencionar o hedge como forma de proteção contra alterações no valor das ações, não devido à alteração do seu preço no mercado, mas devido à alteração na taxa de câmbio da moeda em que essas ações estão listadas.

Vejamos então quais são as transações que deveremos fazer para cobrir o nosso investimento do risco de câmbio. Neste exemplo, transacionamos em euros e desejamos comprar ações listadas nos EUA:

  • comprando USD com EUR
  • comprando ações por USD

Na venda das ações, respetivamente:

  • vendendo ações com dólares 
  • vendendo USD por EUR

A plataforma de transações da xStation converte automaticamente a moeda, compra ou vende a quantidade certa da moeda necessária em nosso nome. No entanto, precisamos de ter em mente que o valor do investimento depende da taxa de câmbio durante toda a duração do investimento - com o aumento dos preços em EUR-USD, o valor do investimento diminui (o EUR aprecia e o USD deprecia) e vice-versa. Para reduzir o risco de taxa de câmbio nesse caso, basta abrir uma posição de compra (longa) em CFD no EUR-USD.

A calculadora de investimentos incorporada na plataforma xStation 5 novamente ajuda-nos a selecionar o volume de transação apropriado, definir o depósito de margem e calcular os custos da nossa transação de cobertura. Como podemos ver no exemplo a seguir, a cobertura de uma posição no valor de 50.000€ exigiria um depósito de 1665€, e o custo de abertura dessa transação é de apenas 4,01€.

Fonte: xStation 5

Aqui, devemos mencionar os pips (pontos de swap) resultantes da diferença na taxa de juros da moeda - no exemplo acima, eles são positivos para uma posição de venda, o que significa que todos os dias, o valor da nossa posição de venda rende adicionalmente 2,53 EUR.

Conclusão

A cobertura de investimentos entre investidores profissionais é uma técnica de investimento muito popular, usada principalmente para garantir lucros já auferidos e para limitar o risco. Atualmente, na era do fácil acesso à informação e a todos os tipos de instrumentos financeiros, basicamente todos os investidores podem aplicar esta técnica simples e eficaz. Por fim, deve-se enfatizar que esta não é uma ferramenta perfeita - a cobertura nunca eliminará completamente os riscos de investimento, mas poderá limitá-los em certo grau.

Este material é uma comunicação de marketing na aceção do artigo 24.º, n.º 3, da Diretiva 2014/65 / UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 15 de maio de 2014, sobre os mercados de instrumentos financeiros e que altera a Diretiva 2002/92 / CE e Diretiva 2011/61/ UE (MiFID II). A comunicação de marketing não é uma recomendação de investimento ou informação que recomenda ou sugere uma estratégia de investimento na aceção do Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho de 16 de abril de 2014 sobre o abuso de mercado (regulamentação do abuso de mercado) e revogação da Diretiva 2003/6 / CE do Parlamento Europeu e do Conselho e das Diretivas da Comissão 2003/124 / CE, 2003/125 / CE e 2004/72 / CE e do Regulamento Delegado da Comissão (UE ) 2016/958 de 9 de março de 2016 que completa o Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho no que diz respeito às normas técnicas regulamentares para as disposições técnicas para a apresentação objetiva de recomendações de investimento, ou outras informações, recomendação ou sugestão de uma estratégia de investimento e para a divulgação de interesses particulares ou indicações de conflitos de interesse ou qualquer outro conselho, incluindo na área de consultoria de investimento, nos termos do Código dos Valores Mobiliários, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 486/99, de 13 de Novembro. A comunicação de marketing é elaborada com a máxima diligência, objetividade, apresenta os factos do conhecimento do autor na data da preparação e é desprovida de quaisquer elementos de avaliação. A comunicação de marketing é elaborada sem considerar as necessidades do cliente, a sua situação financeira individual e não apresenta qualquer estratégia de investimento de forma alguma. A comunicação de marketing não constitui uma oferta ou oferta de venda, subscrição, convite de compra, publicidade ou promoção de qualquer instrumento financeiro. A XTB, S.A. - Sucursal em Portugal não se responsabiliza por quaisquer ações ou omissões do cliente, em particular pela aquisição ou alienação de instrumentos financeiros. A XTB não aceitará a responsabilidade por qualquer perda ou dano, incluindo, sem limitação, qualquer perda que possa surgir direta ou indiretamente realizada com base nas informações contidas na presente comunicação comercial. Caso o comunicado de marketing contenha informações sobre quaisquer resultados relativos aos instrumentos financeiros nela indicados, estes não constituem qualquer garantia ou previsão de resultados futuros. O desempenho passado não é necessariamente indicativo de resultados futuros, e qualquer pessoa que atue com base nesta informação fá-lo inteiramente por sua conta e risco.

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 81% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 81% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.