Tesla sob pressão após enorme corte de produção em Xangai 📉

07:50 9 de dezembro de 2022

A agência Reuters avançou que a Tesla (TSLA.US) pretende suspender completamente a produção do Modelo Y em Xangai entre 25 de Dezembro e 1 de Janeiro. A Reuters citou um memorando interno da empresa, que foi revisto por duas pessoas familiarizadas com o assunto. O memorando apresentava, alegadamente, os planos de montagem de Tesla. De acordo com fontes da Reuters, a suspensão da produção não estava originalmente planeada; Tesla ainda não respondeu a um pedido de comentários:

  • Globalmente, Tesla planeou aumentar a produção do Modelo Y e do Modelo 3 no último trimestre do ano, à medida que as novas fábricas em Austin, Texas, e Berlim aumentariam gradualmente a produção. A Reuters informou sobre isto em Setembro, pelo que os relatórios mais recentes surpreenderam negativamente os investidores;
  • A produção da última versão do Modelo 3 estava programada para começar no terceiro trimestre de 2023 em Xangai, e hoje o mercado está a levantar questões sobre se Tesla será capaz de cumprir os seus objectivos originais de produção e se o Modelo 3 será também afectado pelo corte de produção. A Reuters ainda não conseguiu determinar a razão para a redução planeada da produção automóvel em Xangai, ou porque será encerrada no final do ano;
  • A Bloomberg já tinha informado na segunda-feira sobre os planos da Tesla para cortar a produção na segunda-feira, de acordo com os relatórios iniciais de que se esperava que a produção diminuísse mais de 20% a partir de Novembro. Tesla comentou na altura que a notícia era falsa sem fornecer explicações adicionais;
  • A suspensão da montagem de novos modelos no final do mês faria parte de um corte de produção planeado de 30% para o modelo mais vendido de Tesla até à data. A fábrica de Xangai é o mais importante centro de produção da empresa Elon Musk. Na última semana de Dezembro do ano passado, a fábrica estava a manter a capacidade total de produção. O Modelo Y afectado pela suspensão de montagem representa actualmente a maior parte da produção da fábrica de Xangai;
  • Tesla irá produzir 20.000 modelos do Modelo Y nas últimas três semanas do último mês do ano. Ainda em Novembro, por exemplo, a taxa de produção era de 13.000 modelos por semana, o que deverá resultar em 39.000 em Dezembro. Ainda não é claro como e se a produção paralela do Modelo 3 será também afectada;

Inventários aumentam, enquanto que a procura diminui ?

Comece a investir hoje ou teste gratuitamente uma conta demo

Abrir Conta Real Teste a DEMO Download mobile app Download mobile app

Os armazéns da Tesla na China estão a debater-se com elevados níveis de inventário após a fábrica de Xangai ter concluído uma melhoria das suas instalações de produção durante o Verão. O inventário de veículos eléctricos da Tesla em Xangai, aumentou em Outubro ao ritmo mais rápido na história operacional da fábrica. Desde então, Tesla decidiu reduzir os preços e lançou uma campanha de marketing , destinada a aumentar as vendas de automóveis no mercado 'doméstico' chinês. Como resultado, a empresa registou um recorde de vendas na China em Novembro. Na quarta-feira, ofereceu um desconto limitado no tempo de 6.000 yuan (cerca de $850) a compradores na China em certos modelos até ao final deste ano. Em Novembro, as entregas da Tesla no mercado chinês totalizaram 100.291 carros fabricados na China. Isto deu um recorde de vendas desde que a fábrica de Xangai abriu em 2020. A informação foi relatada pela agência noticiosa chinesa Xinhua na segunda-feira, citando a empresa como fonte.

Enquanto Pequim flexibilizou esta semana a sua política de zero COVID, enchendo os mercados com optimismo, a indústria automóvel foi mais duramente atingida do que o esperado.  As vendas de automóveis de passageiros na China em Novembro caíram pela primeira vez em seis meses. Os fabricantes de automóveis estimam que as vendas de automóveis na China permanecerão a níveis consistentemente mais baixos no próximo ano. O mercado está a começar a fixar os preços num cenário em que, pelo menos a curto e médio prazo, os melhores meses de Tesla estão atrasados e vai lutar com o aumento dos inventários e um abrandamento económico que, juntamente com um crédito mais caro, poderia efectivamente conter a procura de automóveis. Como resultado, as acções da empresa já estão a perder quase 60% dos seus picos de 2021. 

Tesla shares (TSLA.US), gráfico D1. As acções da empresa têm estado sob clara pressão de venda desde o início do ano e, apesar dos resultados financeiros terem atingido recordes. No entanto, as quedas no preço das ações pararam junto dos níveis de Fibonacci nos 61,8%. O próximo nível de supporte será marcado pelos 71,6%, que ronda os 134 dólares por acção. A relação preço/rendimento da empresa de 55 é quase 250% superior à média das empresas do índice S&P 500, tornando uma potencial recessão dos lucros mais dolorosa para os accionistas da Tesla. O mercado ainda estima que a empresa irá apresentar melhores resultados financeiros em 2023. Fonte: xStation5

Partilhar:
Voltar

Forex e CFDs são produtos alavancados e podem resultar em perdas que excedem seus depósitos. Por favor, certifique-se de entender completamente todos os riscos. Esta página não foi criada para investidores residentes no Brasil. Esta corretora não é autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários ("CVM"), mas é regulada por supervisores fora do Brasil. O conteúdo desta página não é caracterizado como uma oferta de investimento no Brasil ou para investidores residentes nesse país.

As perdas podem exceder os depósitos