☕Quanto é que iremos pagar por um café?

12:53 23 de novembro de 2021

O preço do café, semelhante a outros produtos, subiu nos últimos meses. Numa base anual, os preços do café nas bolsas de valores subiram quase 100%. Isto é o resultado de preocupações de abastecimento e de grandes problemas de transporte em todo o mundo. Será que estas enormes mudanças irão afectar os consumidores da mais popular bebida do pequeno almoço? Quanto é que estamos dispostos a pagar pelo café? Quais são as outras perspectivas de preços do ponto de vista do investidor?

Anomalias meteorológicas

Comece a investir hoje ou teste gratuitamente uma conta demo

Abrir Conta Real TESTAR A DEMO Download mobile app Download mobile app

O clima é um factor chave quando se trata do cultivo de café. O café deve ser cultivado em climas quentes, em declives onde as flutuações de temperatura ao longo do ano não são significativas. Portanto, a maior parte do café é cultivada nas terras altas da América do Sul, Sudeste Asiático e África Central. No entanto, as alterações climáticas em curso estão a contribuir para a ocorrência de um número crescente de anomalias climáticas. Chuvas excessivas, secas persistentes ou amplitudes térmicas elevadas danificam um grande número de culturas. Isto tem acontecido nos últimos meses no Brasil, que é o maior produtor mundial de café. O Brasil é também o maior produtor de café Arábica, que é principalmente utilizado na gastronomia.

O Brasil sofreu este ano geadas prolongadas no solo, seguidas de secas. Como resultado, muitos cafeeiros simplesmente morreram. As quedas de produção no Brasil em comparação com a estação normal serão contabilizadas em pelo menos alguns milhões de sacos, se não mesmo uma dúzia. Como pode levar um mínimo de 2 anos para restaurar as colheitas, os preços podem permanecer em níveis elevados durante um período mais longo.

Pandemia e um período de preços baixos

A pandemia conduziu a uma situação sem precedentes, na qual praticamente todo o sector da restauração estagnou. O café arábica é consumido principalmente em restaurantes e cafés. A procura deste tipo de café diminuiu drasticamente, o que se traduziu naturalmente numa descida dos preços da matéria-prima, mesmo para níveis inferiores a 100 cêntimos por libra. Isto, por sua vez, levou a uma situação em que os agricultores abandonaram as suas plantações de café para ganhar dinheiro com outras culturas (por exemplo, cacau) ou procurar a felicidade noutras indústrias. Além disso, aqueles que decidiram ficar tiveram um problema de colheita devido à falta de trabalhadores. Observámos tal situação principalmente nos países da América Central, onde se produz café da mais alta qualidade, o que, por sua vez, gera custos muito elevados. Como resultado, o café brasileiro começou a ser entregue em bolsas de futuros, o que até agora constituía uma fracção das entregas. Como resultado, os inventários no Brasil caíram para os seus níveis mais baixos em vários anos. Mesmo com o actual real brasileiro fraco, o que deveria levar a um aumento das vendas de café do Brasil, os inventários e a produção eram demasiado pequenos para fazer baixar os preços nos mercados globais.

Cadeia de abastecimento apertada

A aceleração significativa da actividade económica após o primeiro impacto da pandemia fez com que as cadeias de abastecimento globais se tornassem tensas como nunca antes. Houve uma escassez de contentores na Índia, o que contribuiu principalmente para a pressão ascendente sobre os preços do açúcar, mas também teve algum impacto no café. Por sua vez, no Brasil, os mesmos portos são utilizados para o carregamento de grãos de soja, açúcar ou café. O aumento da procura de soja ou açúcar de outras regiões do mundo levou ao facto de os prazos de entrega terem aumentado dos 30 dias normais para mesmo mais de 100 dias nos piores casos! Além disso, o custo do próprio transporte aumentou várias vezes!

A procura e a oferta do resto do mundo

A retoma da procura no sector da restauração leva a uma pressão adicional sobre a oferta limitada. A tendência de regresso dos empregados aos escritórios é também visível, o que conduzirá novamente a um aumento das encomendas dos distribuidores. As restrições de oferta não se limitam ao Brasil. Na Etiópia, a ameaça de guerra civil leva a problemas de abastecimento. Os preços nos Camarões estão a subir a níveis nunca antes atingidos devido a remessas portuárias insuficientes. O clima tem um forte impacto na redução da produção potencial no Vietname e noutros países do sudeste asiático.

Quanto é que vamos pagar?

O preço do café numa chávena só representa apenas 1-2% do preço total. Por conseguinte, o aumento anual dos preços da própria matéria-prima em quase 100% não deverá traduzir-se em fortes aumentos nos produtos finais. Os custos de transporte e os próprios serviços são muito mais importantes. É também digno de nota o aumento acentuado dos preços do café da mais alta qualidade, cuja produção caiu drasticamente durante a pandemia. O preço do café está actualmente a negociar no seu nível mais elevado em quase 10 anos, mas o aumento do preço para o consumidor não deve ser drástico. Dependendo da região do mundo, os preços para o consumidor devem aumentar entre 5% e 30% para tipos específicos, métodos de fabrico de café ou, sobretudo, o custo dos serviços no ambiente actual de inflação desenfreada.

O preço atingiu o seu valor mais elevado desde 2012. Fonte: xStation5

Este material é uma comunicação de marketing na aceção do artigo 24.º, n.º 3, da Diretiva 2014/65 / UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 15 de maio de 2014, sobre os mercados de instrumentos financeiros e que altera a Diretiva 2002/92 / CE e Diretiva 2011/61/ UE (MiFID II). A comunicação de marketing não é uma recomendação de investimento ou informação que recomenda ou sugere uma estratégia de investimento na aceção do Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho de 16 de abril de 2014 sobre o abuso de mercado (regulamentação do abuso de mercado) e revogação da Diretiva 2003/6 / CE do Parlamento Europeu e do Conselho e das Diretivas da Comissão 2003/124 / CE, 2003/125 / CE e 2004/72 / CE e do Regulamento Delegado da Comissão (UE ) 2016/958 de 9 de março de 2016 que completa o Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho no que diz respeito às normas técnicas regulamentares para as disposições técnicas para a apresentação objetiva de recomendações de investimento, ou outras informações, recomendação ou sugestão de uma estratégia de investimento e para a divulgação de interesses particulares ou indicações de conflitos de interesse ou qualquer outro conselho, incluindo na área de consultoria de investimento, nos termos do Código dos Valores Mobiliários, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 486/99, de 13 de Novembro. A comunicação de marketing é elaborada com a máxima diligência, objetividade, apresenta os factos do conhecimento do autor na data da preparação e é desprovida de quaisquer elementos de avaliação. A comunicação de marketing é elaborada sem considerar as necessidades do cliente, a sua situação financeira individual e não apresenta qualquer estratégia de investimento de forma alguma. A comunicação de marketing não constitui uma oferta ou oferta de venda, subscrição, convite de compra, publicidade ou promoção de qualquer instrumento financeiro. A XTB, S.A. - Sucursal em Portugal não se responsabiliza por quaisquer ações ou omissões do cliente, em particular pela aquisição ou alienação de instrumentos financeiros. A XTB não aceitará a responsabilidade por qualquer perda ou dano, incluindo, sem limitação, qualquer perda que possa surgir direta ou indiretamente realizada com base nas informações contidas na presente comunicação comercial. Caso o comunicado de marketing contenha informações sobre quaisquer resultados relativos aos instrumentos financeiros nela indicados, estes não constituem qualquer garantia ou previsão de resultados futuros. O desempenho passado não é necessariamente indicativo de resultados futuros, e qualquer pessoa que atue com base nesta informação fá-lo inteiramente por sua conta e risco.

Partilhar:
Voltar

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 82% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 82% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.