A influência da política

  • Começar a negociar
4 minuto(s)

A História diz-nos que inúmeros movimentos acentuados nos mercados financeiros foram causados por eventos políticos e não por eventos económicos. Por exemplo, o Brexit e as eleições dos EUA fizeram com que o mercado se tornasse muito volátil e forneceram também inúmeras oportunidades de trading.

Nesta aula, vai aprender:
 

  • Como a política pode influenciar as políticas de um banco central
  • Porque é que estabilizações são algo que os investidores tendem a apreciar
  • Como o resultado inesperado de uma eleição pode causar mudanças significativas nos mercados

A História diz-nos que inúmeros movimentos acentuados nos mercados financeiros foram causados por eventos políticos e não por eventos económicos. Por exemplo, o Brexit e as eleições dos EUA fizeram com que o mercado se tornasse muito volátil e forneceram também inúmeras oportunidades de trading.

Existe uma ligação direta entre política e economia, por isso não é uma grande surpresa que a política tenha um impacto significativo nos mercados financeiros. Mas como é que isso acontece e porquê? Vamos descobrir.

Incerteza é igual a volatilidade

As eleições – um acontecimento comum na maioria dos países – podem ter um grande impacto nos mercados financeiros. As eleições podem ser vistas pelos traders como um caso isolado de potencial incerteza e instabilidade política, o que tipicamente gera grande volatilidade tanto no mercado bolsista como no mercado de forex.

Analisemos então como se comportou o mercado na iminência das eleições de novembro de 2016. Era consensual que Hillary Clinton seria a próxima Presidente dos Estados Unidos. A maioria das sondagens mais respeitáveis punham Clinton na liderança, a ultrapassar Donald Trump. Por isso, o mercado estava relativamente calmo, já que Trump era visto como o candidato mais “imprevisível”. No entanto, a sua vitória foi uma enorme surpresa que levou a alguns movimentos significativos, uma vez que os traders tiveram de dar um preço ao que a presidência de Trump acarretaria.

Uma vez que a maioria das típicas sondagens de confiança punha Clinton na liderança, os mercados não estavam preparados para a vitória de Trump. Aconteceu uma situação semelhante com o referendo do Reunido Unido relativamente à pertença à UE: o inesperado voto para sair da maioria causou uma abrupta queda da libra britânica e levou a especulação quanto à sobrevivência da União Europeia. Estes dois incidentes sublinharam uma rejeição globalizada dos status quo estabelecidos, e colocou em perspetiva a precisão das sondagens. A incerteza, desconfiança e descrença levam a movimentos mais rápidos no mercado.

Mudanças – nem sempre são bem-vindas

Uma mudança num governo significa, muitas vezes, uma mudança de ideologia, o que normalmente equivale a uma abordagem diferente em políticas orçamentais e monetárias – ambas, em especial a primeira, são grandes impulsionadoras dos mercados financeiros. O dólar disparou depois de Trump vencer as eleições pois o mercado esperava que uma política orçamental expansionista forçasse a Reserva Federal a subir as taxas de juro.

Regra geral, quando mais um governo gastar, mais rapidamente essa economia vai crescer, o que gera tipicamente um aumento da inflação. Numa situação dessas, o banco central desse país tem de agir aumentando as taxas de juro, o que ajuda a moeda. Para além disso, as pessoas ou os partidos políticos vistos como fiscalmente responsáveis ou mais preocupados em promover o crescimento económico tendem a impulsionar o mercado de ações e a moeda. Por isso, se um governo que é visto como “amigo” da economia estiver em perigo de perder a sua posição de poder, os traders podem reagir de forma nervosa e podem vender a moeda ou ações.

Em busca de estabilidade

A estabilidade é algo que os mercados financeiros apreciam. Como já referido, a incerteza é algo que pode ter um impacto negativo no mercado de ações ou na moeda. Ainda assim, questões políticas não estão sempre ligadas a mudanças de governo. Relembremos 2012, quando a Zona Euro estava prestes a colapsar. A Grécia ficou quase sem dinheiro e os políticos não encontravam uma solução clara para a questão. Em 2015 houve um cenário parecido, quando o país esteve perto de sair da Zona Euro, o que resultou em movimentos acentuados em mercados como DAX, CAC40 e outros.

Só quando se chegou a um acordo político em Bruxelas é que o mercado estabilizou. Apesar de as medidas implementadas estarem longe de ser perfeitas, o sentido de estabilidade melhorou significativamente.

Como pode ver, a política pode ter um enorme impacto nos mercados financeiros; é por isso que deve seguir de perto o cenário político.

Este material é uma comunicação de marketing na aceção do artigo 24.º, n.º 3, da Diretiva 2014/65 / UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 15 de maio de 2014, sobre os mercados de instrumentos financeiros e que altera a Diretiva 2002/92 / CE e Diretiva 2011/61/ UE (MiFID II). A comunicação de marketing não é uma recomendação de investimento ou informação que recomenda ou sugere uma estratégia de investimento na aceção do Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho de 16 de abril de 2014 sobre o abuso de mercado (regulamentação do abuso de mercado) e revogação da Diretiva 2003/6 / CE do Parlamento Europeu e do Conselho e das Diretivas da Comissão 2003/124 / CE, 2003/125 / CE e 2004/72 / CE e do Regulamento Delegado da Comissão (UE ) 2016/958 de 9 de março de 2016 que completa o Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho no que diz respeito às normas técnicas regulamentares para as disposições técnicas para a apresentação objetiva de recomendações de investimento, ou outras informações, recomendação ou sugestão de uma estratégia de investimento e para a divulgação de interesses particulares ou indicações de conflitos de interesse ou qualquer outro conselho, incluindo na área de consultoria de investimento, nos termos do Código dos Valores Mobiliários, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 486/99, de 13 de Novembro. A comunicação de marketing é elaborada com a máxima diligência, objetividade, apresenta os factos do conhecimento do autor na data da preparação e é desprovida de quaisquer elementos de avaliação. A comunicação de marketing é elaborada sem considerar as necessidades do cliente, a sua situação financeira individual e não apresenta qualquer estratégia de investimento de forma alguma. A comunicação de marketing não constitui uma oferta ou oferta de venda, subscrição, convite de compra, publicidade ou promoção de qualquer instrumento financeiro. A XTB, S.A. - Sucursal em Portugal não se responsabiliza por quaisquer ações ou omissões do cliente, em particular pela aquisição ou alienação de instrumentos financeiros. A XTB não aceitará a responsabilidade por qualquer perda ou dano, incluindo, sem limitação, qualquer perda que possa surgir direta ou indiretamente realizada com base nas informações contidas na presente comunicação comercial. Caso o comunicado de marketing contenha informações sobre quaisquer resultados relativos aos instrumentos financeiros nela indicados, estes não constituem qualquer garantia ou previsão de resultados futuros. O desempenho passado não é necessariamente indicativo de resultados futuros, e qualquer pessoa que atue com base nesta informação fá-lo inteiramente por sua conta e risco.

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 81% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 81% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.