Investimentos seguros - Como reduzir o risco de investimento?

  • Ações
  • ETFs
  • Guias
7 minuto(s)
Está à procura de formas seguras de investir dinheiro? Leia o nosso artigo e encontre informações sobre como reduzir o risco ao investir os seus fundos!

O que é o risco e como pode reduzi-lo

Como é que se pode investir em bolsa de uma forma mais segura e minimizar o risco de perda? Muitos traders pretendem capitalizar o seu investimento, mas, por outro lado, não lidam bem com as perdas.
Em teoria, quanto maior for o retorno esperado, maior será simetricamente o risco. Se um trader espera taxas de retorno de algumas centenas por cento como é o caso, por exemplo, no mercado de criptomoedas, deve estar ciente do facto de que este mercado pode cair em algumas dezenas de por cento num curto espaço de tempo. Enquanto que, se o trader esperar uma taxa de retorno menor, deve reconhecer que, em princípio, o risco também será reduzido.

O risco em si não é nada mau, não é nenhum obstáculo, mas os investidores precisam de aceitá-lo quando decidem começar a negociar nos mercados financeiros. Contudo, o que é crucial para um investidor, quando pretende realizar investimentos seguros, é a sua propensão para assumir riscos. Tem de compreender que tipo de risco está disposto a correr ao investir o seu próprio capital e como aumentar a segurança dos seus investimentos. Uma vez que cada indivíduo é diferente, terá também abordagens diferentes para aceitar ganhos e perdas. Há investidores que não terão quaisquer problemas emocionais ou psicológicos com uma perda de 30-50% no saldo da sua conta. Contudo, existem outros investidores que podem ficar aterrorizados ao ver o seu saldo de conta reduzido em 5-10%.

Deve, em primeiro lugar, determinar a sua tolerância a diferentes tipos de risco. Cada investimento implica riscos até um certo ponto. Compreender o tipo de risco ou uma combinação de tipos de risco é crucial para o limitar e, consequentemente, para um investimento seguro quando se decide investir num determinado ativo. O mais importante para se sentir confortável na tomada de decisões é, acima de tudo, saber que vale a pena investir. Não deve utilizar capital que seja necessário para as despesas do dia a dia.

Também é preciso estar ciente da existência das várias classes de ativos entre os quais se pode escolher. Pode investir em ações, matérias-primas, divisas (Forex), ETFs e criptomoedas. As classes de ativos estão também divididas naquelas mais seguras, ou seja, menos voláteis, e naquelas mais arriscadas, ou seja, mais voláteis. Por exemplo, as ações da Coca-Cola parecem criar tendências muito mais estáveis do que as ações da Tesla. A situação no mercado cambial também é semelhante. As flutuações de câmbio no par USD/CHF ou EUR/GBP podem ser menos voláteis do que as flutuações no par GBP/JPY ou EUR/JPY. A volatilidade de um dado mercado pode dizer-lhe imediatamente qual deles pode ser mais seguro e menos arriscado e vice-versa.

Como pode investir de forma mais segura

Apresentamos várias formas de reduzir o risco quando decide alocar parte do seu capital em investimento, ou seja, formas que pode utilizar para melhorar a segurança dos fundos investidos.

ETFs

Se não for especialista quando se trata de selecionar empresas e ações para a construção da sua carteira de investimentos, utilize alternativas como os ETFs. Os ETFs destinam-se, por exemplo, a copiar o desempenho de um determinado mercado, por exemplo, do S&P 500 ou, por exemplo, as melhores empresas que pagam os melhores dividendos aos investidores. 

A lista completa dos ETFs oferecidos pela XTB está disponível aqui. Estes são os instrumentos com baixos custos de transação. Proporcionam-lhe exposição a muitas ações de vários setores económicos.

Diversificação por capitalização

Diversificar trata-se de garantir que "não põe todos os ovos no mesmo cesto", porque se esse cesto cair, todos os ovos vão partir-se. A diversificação de acordo com a capitalização do mercado é uma das suas várias formas que pode fazer. A capitalização de mercado refere-se ao valor da empresa no mercado bolsista. Este é o método para determinar a dimensão da empresa.

Em geral, as grandes empresas são grandes empresas e as pequenas empresas são consideravelmente mais pequenas, tanto em termos de lucros como de número de empregados. As grandes empresas têm também preços de ações mais estáveis, que se distinguem tanto por um crescimento mais lento como por um menor risco de colapso dos preços.

As empresas mais pequenas têm mais espaço para o desenvolvimento e podem rapidamente aumentar o seu valor. Mas também correm o risco de falência com a mesma rapidez. Por exemplo, S&P 500 é um índice que representa 500 das maiores empresas nos Estados Unidos, enquanto que o Russell 2000 representa 2000 empresas americanas de menor dimensão. Neste caso, também é possível escolher empresas apropriadas utilizando uma ferramenta de filtragem de ações que está integrada na plataforma xStation da XTB.

Diversificação por região

A possibilidade de diversificar os investimentos por instrumentos de diferentes regiões do mundo/ países é outra forma de diversificação. Por exemplo, em vez de possuir apenas empresas americanas, pode construir a sua carteira a partir de empresas sediadas nos Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha. Também pode aplicar a diversificação por índices de ações. Para além dos índices dos EUA ou da Europa, a XTB dá acesso a CFDs sobre índices de ações da Ásia ou da América do Sul.

Da mesma forma que no caso de diferentes ações e tamanhos de empresas, o risco e o ganho potencial podem ser equilibrados através da distribuição de dinheiro a instrumentos financeiros de muitas regiões do mundo. Em geral, quanto menos desenvolvidas as economias e regiões em que se investe, maior é o potencial de crescimento e o risco de perda. Assim, é possível compor uma carteira baseada, por exemplo, em 50% de mercados desenvolvidos e em 50% de mercados em desenvolvimento.

Diversificação por setor

Tal como algumas regiões oferecem um potencial de crescimento (ou declínio) mais rápido, certos setores têm uma tendência para assumirem mais riscos e potenciais retornos do que outros. Por exemplo, o setor tecnológico regista frequentemente ganhos notáveis. Aconteceu também que sofreu colapsos desastrosos durante a bolha das dot-com, quando o índice (NASDAQ) caiu mais de 78% nos anos 2000-2002. Outros setores podem ser muito mais estáveis. Neste caso, vale a pena considerar as quotas das empresas de utilidade pública ou de bens de consumo.

A diversificação por capitalização ou por regiões do mundo pode não ter grande utilidade se tivermos empresas de um só setor. Assim, vale a pena refletir um pouco sobre esta questão.

Proteja-se em momentos de crise

Pode adicionar ETFs ou CFDs sobre obrigações ou ouro à sua carteira de investimento. Estes instrumentos valorizam em momentos de crise. Portanto, para além dos métodos de diversificação descritos anteriormente, vale a pena considerar também a diversificação entre os vários mercados. Também pode alterar ligeiramente a dimensão da sua exposição em mercados individuais. Em situações de emergência, é possível reduzir a exposição em ações e aumentar a exposição em obrigações ou ouro, e no caso de estar perante um “boom económico”, é possível combinar os componentes do seu portfólio ao contrário. Além disso, vale sempre a pena ter dinheiro disponível a fim de poder comprar um determinado instrumento a um preço mais barato, no caso de surgirem correções no mercado.

Uma das carteiras de investimento pode incluir, por exemplo, 25% das exposições no mercado de ações, por exemplo através de ETFs no S&P 500, 25% das exposições no mercado de obrigações, 25% das exposições no mercado de ouro e a dedicar cerca de 25% do restante em dinheiro. Este é um exemplo teórico mas, na prática, pode contribuir para que um investidor consiga limitar mais o risco e minimizar as potenciais perdas em momentos de maior turbulência no mercado.

Em resumo, será que é possível investir de forma segura? Quando decide investir existem sempre riscos, embora não seja possível eliminá-los, pode reduzi-los substancialmente. Face às circunstâncias do mercado, deve tentar manter sempre o seu portfólio o mais equilibrado e diversificado possível, evitando períodos de grande volatilidade e fazendo com que o risco possa ser distribuído de forma mais uniforme. A XTB oferece uma vasta seleção de instrumentos financeiros que podem ser ajustados a praticamente qualquer perfil de risco determinado pelo trader.

Este material é uma comunicação de marketing na aceção do artigo 24.º, n.º 3, da Diretiva 2014/65 / UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 15 de maio de 2014, sobre os mercados de instrumentos financeiros e que altera a Diretiva 2002/92 / CE e Diretiva 2011/61/ UE (MiFID II). A comunicação de marketing não é uma recomendação de investimento ou informação que recomenda ou sugere uma estratégia de investimento na aceção do Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho de 16 de abril de 2014 sobre o abuso de mercado (regulamentação do abuso de mercado) e revogação da Diretiva 2003/6 / CE do Parlamento Europeu e do Conselho e das Diretivas da Comissão 2003/124 / CE, 2003/125 / CE e 2004/72 / CE e do Regulamento Delegado da Comissão (UE ) 2016/958 de 9 de março de 2016 que completa o Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho no que diz respeito às normas técnicas regulamentares para as disposições técnicas para a apresentação objetiva de recomendações de investimento, ou outras informações, recomendação ou sugestão de uma estratégia de investimento e para a divulgação de interesses particulares ou indicações de conflitos de interesse ou qualquer outro conselho, incluindo na área de consultoria de investimento, nos termos do Código dos Valores Mobiliários, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 486/99, de 13 de Novembro. A comunicação de marketing é elaborada com a máxima diligência, objetividade, apresenta os factos do conhecimento do autor na data da preparação e é desprovida de quaisquer elementos de avaliação. A comunicação de marketing é elaborada sem considerar as necessidades do cliente, a sua situação financeira individual e não apresenta qualquer estratégia de investimento de forma alguma. A comunicação de marketing não constitui uma oferta ou oferta de venda, subscrição, convite de compra, publicidade ou promoção de qualquer instrumento financeiro. A XTB, S.A. - Sucursal em Portugal não se responsabiliza por quaisquer ações ou omissões do cliente, em particular pela aquisição ou alienação de instrumentos financeiros. A XTB não aceitará a responsabilidade por qualquer perda ou dano, incluindo, sem limitação, qualquer perda que possa surgir direta ou indiretamente realizada com base nas informações contidas na presente comunicação comercial. Caso o comunicado de marketing contenha informações sobre quaisquer resultados relativos aos instrumentos financeiros nela indicados, estes não constituem qualquer garantia ou previsão de resultados futuros. O desempenho passado não é necessariamente indicativo de resultados futuros, e qualquer pessoa que atue com base nesta informação fá-lo inteiramente por sua conta e risco.

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 81% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 81% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.