A incerteza política em Espanha após as eleições gerais pesa sobre o Ibex35 (SPA35)

10:07 24 de julho de 2023

O Partido Popular (PP) venceu as eleições, embora longe do limiar da maioria absoluta e muito menos do que o esperado desde a sua vitória retumbante nas eleições municipais e regionais de 28 de março. Por outro lado, o PSOE resistiu fortemente, chegando mesmo a melhorar o seu resultado em relação a quatro anos atrás.

Por conseguinte, nesta ocasião, o sucesso foi agridoce para o PP, enquanto a derrota foi gratificante para o PSOE. Apesar de Alberto Núñez Feijóo ter vencido as eleições, Pedro Sánchez pode retomar o governo através de uma nova aliança com os derrotados e com a aquiescência, sob a forma de abstenção, do Junts, o partido de Carles Puigdemont, que fugiu da justiça.

Comece a investir hoje ou teste gratuitamente uma conta demo

Abrir Conta TESTAR A DEMO Download mobile app Download mobile app

A diferença entre as duas principais forças do país é de apenas 14 lugares. Os populares obtiveram 136 deputados, mais 47 do que há quatro anos, sob a liderança de Pablo Casado. Por seu lado, os socialistas evitaram o desastre previsto pela maioria das sondagens e acrescentaram dois deputados aos 120 que obtiveram em 2019.

O panorama político que se apresenta agora é incerto. As duas forças de direita, PP e Vox, têm 169 lugares, ficando a sete da maioria absoluta. Feijóo, fazendo esforços de negociação, poderia adicionar mais dois deputados à sua conta com o assento conquistado pela Unión del Pueblo Navarro (UPN) e, com muito mais esforço, o obtido pela Coalición Canaria (CC). No entanto, esta última opção seria especialmente complicada, uma vez que a Coligação Canária sempre afirmou que não apoiaria um governo em que o Vox participasse.

Fonte: El Mundo

O bloco da esquerda, PSOE e Sumar, conseguiu 153 lugares, menos dois do que na anterior legislatura, em que se juntaram PSOE e Unidas Podemos. No entanto, com o apoio do leque de partidos do chamado "bloco da investidura Sánchez", chegariam a 172 lugares, mais um do que o bloco da direita.

Pedro Sánchez apareceu em Ferraz radiante apesar da derrota eleitoral, sabendo que tem um amplo espetro de forças para negociar, o que poderia abrir-lhe novamente as portas de La Moncloa. Os seus fervorosos seguidores entoavam "Não passarão, não passarão". Sánchez afirmou que, nestas eleições, ficou demonstrado que em Espanha "há mais" pessoas que querem que o país continue a avançar sob a sua liderança.

Junts não está incluído no cálculo dos aliados praticamente certos que o líder socialista gere, um partido que durante a campanha garantiu que não apoiaria nem Sánchez nem Feijóo. No entanto, este compromisso pode mudar em troca de o PSOE aceitar acções judiciais próximas da inconstitucionalidade. Ontem à noite, a porta-voz da formação no Congresso, Miriam Nogueras, alertou para este facto. Os outros partidos que poderão apoiar o líder socialista, como o ERC, o BNG, o PNV e o EH Bildu, também exigirão um preço elevado pelos seus votos.

Com este panorama, o índice espanhol iniciou a sessão e a semana pós-eleitoral com quedas de 1,5%. Com a dificuldade acrescida de que o índice fechou na sexta-feira numa zona de resistência acima dos 9.600 pontos e agora, a projeção indica a possibilidade de testar pelo menos a zona de suporte chave entre 9.250-9.300 pontos.

Fonte: xStation

Para já, mantêm-se as estatísticas históricas, das últimas 10 eleições gerais, em 9 ocasiões o índice espanhol (Total Return) abriu e fechou a sessão pós-eleitoral com quedas.

 

Darío Garcia, EFA
XTB Spain

Este material é uma comunicação de marketing na aceção do artigo 24.º, n.º 3, da Diretiva 2014/65 / UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 15 de maio de 2014, sobre os mercados de instrumentos financeiros e que altera a Diretiva 2002/92 / CE e Diretiva 2011/61/ UE (MiFID II). A comunicação de marketing não é uma recomendação de investimento ou informação que recomenda ou sugere uma estratégia de investimento na aceção do Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho de 16 de abril de 2014 sobre o abuso de mercado (regulamentação do abuso de mercado) e revogação da Diretiva 2003/6 / CE do Parlamento Europeu e do Conselho e das Diretivas da Comissão 2003/124 / CE, 2003/125 / CE e 2004/72 / CE e do Regulamento Delegado da Comissão (UE ) 2016/958 de 9 de março de 2016 que completa o Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho no que diz respeito às normas técnicas regulamentares para as disposições técnicas para a apresentação objetiva de recomendações de investimento, ou outras informações, recomendação ou sugestão de uma estratégia de investimento e para a divulgação de interesses particulares ou indicações de conflitos de interesse ou qualquer outro conselho, incluindo na área de consultoria de investimento, nos termos do Código dos Valores Mobiliários, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 486/99, de 13 de Novembro. A comunicação de marketing é elaborada com a máxima diligência, objetividade, apresenta os factos do conhecimento do autor na data da preparação e é desprovida de quaisquer elementos de avaliação. A comunicação de marketing é elaborada sem considerar as necessidades do cliente, a sua situação financeira individual e não apresenta qualquer estratégia de investimento de forma alguma. A comunicação de marketing não constitui uma oferta ou oferta de venda, subscrição, convite de compra, publicidade ou promoção de qualquer instrumento financeiro. A XTB, S.A. - Sucursal em Portugal não se responsabiliza por quaisquer ações ou omissões do cliente, em particular pela aquisição ou alienação de instrumentos financeiros. A XTB não aceitará a responsabilidade por qualquer perda ou dano, incluindo, sem limitação, qualquer perda que possa surgir direta ou indiretamente realizada com base nas informações contidas na presente comunicação comercial. Caso o comunicado de marketing contenha informações sobre quaisquer resultados relativos aos instrumentos financeiros nela indicados, estes não constituem qualquer garantia ou previsão de resultados futuros. O desempenho passado não é necessariamente indicativo de resultados futuros, e qualquer pessoa que atue com base nesta informação fá-lo inteiramente por sua conta e risco.

Partilhar:
Voltar
Xtb logo

Junte-se a mais de 935.000 investidores de todo o mundo

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 76% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 76% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.