Vencedores e perdedores da aquisição da Activision

16:01 20 de janeiro de 2022

 

  • Microsoft anunciou um acordo de $68,7 mil milhões para a aquisição da Activision-Blizzard
  • Maior negocio de fusões e aquisições de jogos da história!
  • Microsoft tornar-se a terceira maior empresa de jogos do mundo
  • A actividade aumentou após as notícias, outros criadores de jogos de vídeo também beneficiaram
  • As ações da Sony caíram à medida que a Xbox está a ganhar vantagem sobre a PlayStation
  • Expectativas de mais negócios no sector do jogo
  • Ubisoft e Electronic Arts estão na mira dos investidores

O início de 2022 está marcado por um aumento da actividade de F&A no sector dos jogos. Take-Two Interactive anunciou a aquisição da Zynga na semana passada e agora a Microsoft anunciou os seus planos para adquirir a Activision-Blizzard no maior negócio de fusões e aquisições de jogos da história! As notícias desencadearam grandes movimentos nos preços das ações na indústria à medida que as expectativas de mais fusões e aquisições no sector dos jogos aumentavam. Vamos dar uma vista de olhos aos potenciais vencedores e perdedores da oferta da Activision-Blizzard.

Comece a investir hoje ou teste gratuitamente uma conta demo

Abrir Conta Real TESTAR A DEMO Download mobile app Download mobile app

Microsoft compra a Activision Blizzard

A Microsoft anunciou planos para adquirir a Activision Blizzard num negócio que rondou quase 69 mil milhões de dólares! Este não é apenas o maior negócio de fusões e aquisições totalmente desde o início da pandemia, mas também o maior negócio de fusões e aquisições de jogos da história! É mais um passo na expansão da Microsoft para os jogos depois da aquisição da Bethesda, outra empresa de jogos de vídeo, por 7,5 mil milhões de dólares. A empresa poderá agora adicionar os serviços da Acitivision ao seu serviço de subscrição, aumentando o interesse na sua marca Xbox. A aquisição da Activision poderá também iniciar uma nova tendência numa indústria de jogos em que as empresas de consolas de jogos poderão começar a comprar editoras inteiras em vez de direitos exclusivos sobre títulos apenas seleccionados. 

Vencedores: Empresas de vídeojogos

A Microsoft ofereceu um prémio de quase 50% sobre o preço da quota de mercado da Activision. Apesar de a Microsoft propor um negócio que envolve apenas dinheiro, as ações da Activision disparam de $65 para $87. Como este foi o segundo grande negócio de F&A de jogos anunciado recentemente, as ações de outros criadores de jogos de vídeo saltaram em antecipação a uma maior consolidação dentro da indústria. As ações da Ubisoft dispararam 12%, a CD Projekt valorizou 3% enquanto que a Electronic Arts subiu 6%. As ações das empresas japonesas de videojogos Capcom, Square Enix e Konami subiram mais de 2%.

As ações da Activision (ATVI.US) começou as negociações desta terça-feira com um enorme gap de alta. Contudo, o preço das ações não conseguiu atingir os 95 dólares por ação propostos pela Microsoft (MSFT.US). O Rally começou a abrandar junto da zona de resistência nos $86,35, marcada pelos níveis de Fibonacci nos 61,8%. Fonte: xStation5

Perdedores: Sony

Activision Blizzard é uma conhecida editora de jogos de vídeo que tem alguns títulos de blockbuster no seu portfólio. A Microsoft tornar-se-á a terceira maior empresa de jogos do mundo em termos de receitas após a aquisição da Activision, atrás apenas da Tencent e da Sony. A Sony (SONY.US) pode ser vista como um dos maiores perdedores da fusão Activision-Microsoft. A aquisição da Activision pode encorajar a Microsoft a tornar os serviços da Activision parte dos seus serviços de subscrição - disponíveis apenas nas suas consolas de jogos Xbox, e não na PlayStation da Sony, a fim de impulsionar a venda cruzada dos seus produtos. A Sony não tem a mesma exposição aos mercados de PC e jogos móveis que a Microsoft e o facto de ter um concorrente tão grande a expandir-se no mercado de consolas de jogos pode encorajar a administração a considerar a expansão também. No entanto, a Sony não tem uma posição financeira tão forte como a Microsoft e tanto dinheiro para gastar.

A Sony tem muito menos dinheiro para gastar do que behemoths como a Apple ou a Microsoft. No entanto, é de notar também que a Activision-Blizzard era uma das maiores editoras terceiras e a Sony poderia ainda procurar adquirir algumas empresas mais pequenas. Fonte: Activision-Blizzard: Bloomberg, XTB Research

Potenciais alvos de M&A no sector dos jogos

A aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft não foi o único grande negócio de fusões e aquisições no sector dos jogos anunciado recentemente. Take-Two Interactive, editora norte-americana de jogos de vídeo, anunciou a fusão com a Zynga, desenvolvedora de jogos móveis, no início deste ano. O aumento da actividade de F&A no sector dos jogos no início de 2022 suscitou esperanças de que mais negócios seriam anunciados em breve, especialmente porque as ofertas de aquisição tanto da Take-Two como da Microsoft ofereciam prémios significativos sobre o preço de mercado. Embora já tenhamos mencionado algumas acções que saltaram na sequência da notícia da aquisição da Acitivison, algumas delas parecem ser mais vulneráveis a tornar-se um alvo de aquisição. A Ubisoft, estúdio francês de videojogos conhecido pela franquia "Assassin's Creed", ou o CD Projekt polaco, conhecido pela série "The Witcher", são vistos como potenciais candidatos.

Ubisoft

A especulação sobre uma possível aquisição da Ubisoft (UBI.FR) começou em 2018 quando o gigante chinês Tencent adquiriu uma participação de 5% no estúdio. O investimento ajudou a Ubisoft a defender-se contra uma tentativa de aquisição da Vivendi e desencadeou um debate sobre se a empresa francesa poderia ser adquirida pela Tencent. O facto de a Ubisoft negociar com desconto em relação aos seus pares americanos, ao considerar a relação preço/vendas, alimenta ainda mais a especulação. A empresa tem algumas franquias bem conhecidas na sua carteira, concentrando-se principalmente em jogos para PC e consolas.

A notícia da aquisição da Activision ajudou a Ubisoft (UBI.FR) a quebrar acima do limite superior do canal descendente. As ações continuaram a valorizar nos dias seguintes e são frequentemente apontadas como um potencial próximo alvo de M&A devido à baixa valorização.  Fonte: xStation5

CD Projekt

O CD Projekt (CDR.PL) também foi criado como um candidato potencial para as próximas M&A de jogos. A empresa polaca continua a ser negociada 60% abaixo dos máximos históricos após um lançamento falhado do "Cyberpunk 2077". No entanto, enquanto a CD Projekt tem dois grandes nomes na sua carteira - Cyberpunk e The Witcher - quase não tem mais nada de notável. Esta carteira limitada torna-o um alvo um pouco menos provável de empresas Big Tech como a Microsoft ou a Apple.

As ações da CD Projekt (CDR.PL) dispararam após a Activision Takeover News e testaram o limite superior do padrão. No entanto, parte dos ganhos foram anulados após os compradores não terem conseguido quebrar acima da resistência nos 205,00 PLN. O suporte mais próximo pode ser encontrado perto do limite inferior do padrão triangular nos 182,00 PLN. Fonte: xStation5

Electronic Arts

Electronic Arts (EA.US) também é vista como um alvo potencial de M&A. A EA é muito maior que a Ubisoft ou CD Projekt e tem um portfólio bastante alargado de jogos que são frequentemente escolhidas pelos jogadores de consolas de jogos, como a Fifa ou Battlefield, o que a torna um bom alvo para aquisição por empresas como a Microsoft ou a Sony. Contudo, como a EA é uma grande empresa com um grande portfólio, pode tornar-se um alvo de aquisição por um jogador relativamente novo mas grande no sector dos jogos, potencialmente a Apple ou a Amazon, o que daria ao comprador uma presença imediata e forte dentro desta indústria em expansão.

As ações da Electronic Arts (EA.US) dispararam para o noticiário Activision-Microsoft, mas a maior parte dos ganhos acabaram por ser anulados.   Fonte: xStation5

Declaração de Risco

A XTB S.A. não se responsabiliza por decisões de investimento que se baseiem em informações contidas nestes conteúdos. Nenhuma da informação aqui contida deverá ser entendida como recomendação de investimento, garantia de lucro ou de risco significativamente menor. Os investimentos baseados no uso de produtos derivados com alavancagem financeira são, por natureza, especulativos e poderão resultar tanto em lucros como perdas significativas. Esteja ciente de que dados de desempenho anteriores não são um indicador fiável de desempenho futuro.

Partilhar:
Voltar

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 79% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 79% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.