Dois anos de guerra na Ucrânia. Como é que o mundo mudou?

15:41 23 de fevereiro de 2024

Há exatamente dois anos, em 24 de fevereiro de 2022, a Rússia lançou uma invasão em grande escala da Ucrânia. Após dois anos de guerra, a situação atual no Leste parece ser um acontecimento diário nos países ocidentais, embora para a Ucrânia continue a ser uma luta difícil pelo seu próprio território, tal como tem sido nos últimos meses. O que mudou no mundo desde 24 de fevereiro de 2022? Qual é o estado atual do mercado financeiro, em particular do mercado de matérias-primas? Estará o mundo ainda disposto a ajudar a Ucrânia? Como é que uma mudança de poder nos EUA pode afetar a ajuda militar à Ucrânia?

Todos perderam

Comece a investir hoje ou teste gratuitamente uma conta demo

Abrir Conta TESTAR A DEMO Download mobile app Download mobile app

O conflito armado, que segundo a Rússia deveria terminar com a rendição da Ucrânia nas primeiras dezenas de horas após o ataque, já dura há dois anos. Durante estes dois anos, a economia ucraniana sofreu danos significativos, mas o seu impacto estendeu-se também ao resto do mundo. De acordo com um estudo do Instituto Nacional de Investigação Económica e Social, a Rússia perdeu um pouco mais de 11% do seu PIB devido à guerra em 2022 e 2023. No caso da Ucrânia, estas perdas ascendem a várias dezenas de por cento. O impacto global, no entanto, é limitado e ascende a cerca de 1 ponto percentual. Na zona euro, o impacto é ainda maior, com perdas de 1,2 e 1,5 pontos percentuais nos dois anos anteriores.

O conflito levou à interrupção de muitas rotas comerciais, mas, mais importante ainda, provocou um aumento significativo dos preços dos produtos de base. A Rússia é um importante produtor e exportador de matérias-primas como o petróleo, o gás natural, o trigo, o milho, o alumínio, o paládio e os fertilizantes. A falta temporária de acesso ao mercado russo, causada em parte pelas sanções, fez com que os preços disparassem várias centenas por cento em muitos casos. Esta situação alimentou, naturalmente, a inflação, que já estava a responder a um afluxo significativo de capitais dos governos e dos bancos centrais após a pandemia. O impacto da guerra entre a Rússia e a Ucrânia poderia ter acrescentado cerca de 1,8 pontos percentuais à inflação mundial em 2022 e 0,9 pontos percentuais em 2023. Dada a proximidade do conflito, os países europeus foram os mais vulneráveis. A falta de acesso a recursos energéticos baratos da Rússia levou a aumentos de preços significativos na Polónia, Eslováquia, República Checa, Hungria e países bálticos. Por fim, os fornecimentos russos foram substituídos, mas esta situação não pode ter outros aspectos positivos para além de uma maior diversificação e de uma maior segurança energética para o futuro.

O mercado dos produtos de base regressou ao normal, juntamente com a inflação

Os preços das matérias-primas normalizaram-se com relativa rapidez, tendo em conta as preocupações com a disponibilidade. O petróleo bruto manteve-se acima dos 100 dólares por barril entre fevereiro e junho, mas a ausência de grandes quebras nas exportações da Rússia, que redireccionou os seus recursos para o mercado asiático, e a procura de fornecedores alternativos por parte da Europa, levaram a uma queda de 50% nos preços do petróleo, desde os picos de 2022 até aos mínimos de 2023. Uma situação muito semelhante ocorreu com o trigo. Um acordo com a Rússia sobre a exportação de trigo ucraniano por via marítima permitiu a exploração de outros mercados e a mudança para o transporte terrestre, embora isso tenha gerado problemas significativos para os agricultores europeus, que foram forçados a competir com o trigo ucraniano e outros produtos agrícolas. Devido ao facto de o transporte rodoviário ser várias vezes mais caro do que o transporte marítimo, os produtos agrícolas terminavam a sua viagem nos países vizinhos, o que constitui um problema significativo quando se tenta conciliar os próprios interesses com um maior apoio ao Estado ucraniano na sua luta contra o invasor.

A situação era muito mais turbulenta no caso do gás natural. O gás russo chegava à Europa principalmente através de gasodutos, pelo que a renúncia a este recurso não era assim tão óbvia. Apenas alguns anos antes, a Alemanha estava a pressionar para uma mudança no seu cabaz energético, com destaque para o gás, especialmente o gás russo. Neste momento, a Alemanha vive uma estagnação, que está relacionada com o facto de o país se ter desenvolvido dinamicamente graças a produtos de base baratos, que atualmente escasseiam.

Os preços do gás natural na Europa estão a regressar aos níveis anteriores à pandemia. No entanto, vale a pena notar que já estavam a subir em 2021, quando a Rússia ameaçou suspender o fornecimento à Europa. Agora, a falta de gás russo na Europa já não é um problema. Fonte: Bloomberg Finance LP, XTB

No entanto, a Europa passou a utilizar o gás GNL e os preços começam a aproximar-se dos níveis anteriores à pandemia, o que está relacionado com o aumento da competitividade no mercado do gás liquefeito. A Europa continua a importar gás da Rússia sob a forma de GNL, mas de empresas privadas e a um nível mínimo, embora se preveja que esta importação também termine num futuro próximo. No entanto, é de salientar que a falta de acesso ao mercado europeu do petróleo é mais prejudicial para a Rússia, embora, neste caso, também tenham sido encontradas rotas alternativas. Muitas vezes houve transbordos ou mudanças de pavilhão ou simplesmente a venda de produtos petrolíferos a partir de destinos anteriormente inexistentes. É de notar que o combustível proveniente da Índia está atualmente a chegar à Europa. Ao mesmo tempo, os produtores europeus aumentaram significativamente as suas exportações para o Cazaquistão e outros países da antiga União Soviética. Neste caso, é difícil falar de falta de relação com as sanções.

A atenção dos EUA também se dirige para outros países

Ao longo destes dois anos, o mundo habituou-se ao conflito. Nem todos estão dispostos a continuar a contribuir para o conflito, mesmo correndo o risco de este se estender a outros países. Os Estados Unidos já estavam menos interessados na Europa antes do conflito e estavam mais virados para Taiwan. Além disso, a situação no Médio Oriente é agora uma preocupação, não só em relação ao conflito entre Israel e o Hamas, mas também devido aos ataques dos Houthis, que são apoiados pelo Irão, contra navios mercantes. Tendo em conta esta situação, o mercado do petróleo poderá tornar-se ainda mais tenso do que no caso da guerra entre a Rússia e a Ucrânia, caso se verifique uma nova escalada.

Novas sanções, mas ajuda suspensa

A Rússia foi largamente isolada do sistema financeiro mundial e muitos activos estrangeiros foram congelados. Estão a ser envidados esforços para apreender estes fundos e afectá-los à reconstrução da Ucrânia, mas dada a complexidade da situação jurídica, este será sem dúvida um processo difícil e moroso.

Entretanto, a situação atual na linha da frente chegou a um impasse, embora haja também relatos de problemas significativos para a Ucrânia devido à falta de equipamento militar suficiente. O Senado dos EUA aprovou um projeto de lei de 95 mil milhões de dólares, com uma grande parte destinada à ajuda à Ucrânia, a Israel e a Taiwan. No entanto, o Presidente da Câmara dos Representantes decidiu enviar os congressistas para umas férias de duas semanas e os fundos estão atualmente suspensos, o que está, naturalmente, relacionado com manobras políticas. Estes fundos deverão acabar por ser libertados, o que levará a um aumento da ajuda global dos EUA para 170 mil milhões de dólares, embora, desde que os republicanos tomaram a maioria na Câmara dos Representantes, em janeiro de 2023, não tenha sido aprovada qualquer ajuda importante para a Ucrânia. Isto leva-nos à questão de saber o que acontecerá se Donald Trump ganhar as eleições.

As eleições nos EUA podem ser cruciais para a Ucrânia

Não há provavelmente ninguém que não tenha ouvido falar das recentes declarações de Donald Trump sobre o seu desejo de se retirar da NATO ou mesmo de encorajar indiretamente a Rússia a atacar países que não estão suficientemente armados. Para a maioria dos países europeus, isso não é um problema. A Polónia tem a maior despesa com a defesa em percentagem do PIB em toda a NATO, mais elevada até do que a Ucrânia. A Alemanha e a França também fazem parte do grupo de países que gastam mais de 2% do PIB. No entanto, a indústria de defesa na Europa não é tão forte como parece. As entregas da Europa para a Ucrânia são insuficientes, o que também levou a um foco ainda maior na produção doméstica da Ucrânia.

Voltando a Trump, não só a situação na Europa seria ameaçada, mas também na Ásia e no Médio Oriente. Muito provavelmente, poderíamos esperar outra guerra comercial, que poderia escalar para um conflito maior. Trump, por outro lado, poderia concentrar-se militarmente no Médio Oriente, o que também poderia levar a movimentos significativos no mercado das matérias-primas energéticas. Embora a vitória de Trump possa ser um bom presságio para os americanos ou para as empresas americanas em termos de impostos (como foi o caso em 2016), as consequências de outras acções podem ser devastadoras.

Departamento de Investigação da XTB

Este material é uma comunicação de marketing na aceção do artigo 24.º, n.º 3, da Diretiva 2014/65 / UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 15 de maio de 2014, sobre os mercados de instrumentos financeiros e que altera a Diretiva 2002/92 / CE e Diretiva 2011/61/ UE (MiFID II). A comunicação de marketing não é uma recomendação de investimento ou informação que recomenda ou sugere uma estratégia de investimento na aceção do Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho de 16 de abril de 2014 sobre o abuso de mercado (regulamentação do abuso de mercado) e revogação da Diretiva 2003/6 / CE do Parlamento Europeu e do Conselho e das Diretivas da Comissão 2003/124 / CE, 2003/125 / CE e 2004/72 / CE e do Regulamento Delegado da Comissão (UE ) 2016/958 de 9 de março de 2016 que completa o Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho no que diz respeito às normas técnicas regulamentares para as disposições técnicas para a apresentação objetiva de recomendações de investimento, ou outras informações, recomendação ou sugestão de uma estratégia de investimento e para a divulgação de interesses particulares ou indicações de conflitos de interesse ou qualquer outro conselho, incluindo na área de consultoria de investimento, nos termos do Código dos Valores Mobiliários, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 486/99, de 13 de Novembro. A comunicação de marketing é elaborada com a máxima diligência, objetividade, apresenta os factos do conhecimento do autor na data da preparação e é desprovida de quaisquer elementos de avaliação. A comunicação de marketing é elaborada sem considerar as necessidades do cliente, a sua situação financeira individual e não apresenta qualquer estratégia de investimento de forma alguma. A comunicação de marketing não constitui uma oferta ou oferta de venda, subscrição, convite de compra, publicidade ou promoção de qualquer instrumento financeiro. A XTB, S.A. - Sucursal em Portugal não se responsabiliza por quaisquer ações ou omissões do cliente, em particular pela aquisição ou alienação de instrumentos financeiros. A XTB não aceitará a responsabilidade por qualquer perda ou dano, incluindo, sem limitação, qualquer perda que possa surgir direta ou indiretamente realizada com base nas informações contidas na presente comunicação comercial. Caso o comunicado de marketing contenha informações sobre quaisquer resultados relativos aos instrumentos financeiros nela indicados, estes não constituem qualquer garantia ou previsão de resultados futuros. O desempenho passado não é necessariamente indicativo de resultados futuros, e qualquer pessoa que atue com base nesta informação fá-lo inteiramente por sua conta e risco.

Partilhar:
Voltar
Xtb logo

Junte-se a mais de 1 000 000 investidores de todo o mundo

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 76% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.
Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 76% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.

Usamos cookies

Ao clicar em “Aceitar tudo”, concorda com o armazenamento de cookies no seu dispositivo para aprimorar a navegação no site, analisar o uso do site e auxiliar as nossas iniciativas de marketing

Este grupo contém cookies que são necessários para o funcionamento dos nossos sites. Eles participam de funcionalidades como preferências de idioma, distribuição de tráfego ou manutenção da sessão do utilizador. Eles não podem ser desativados.

Nome do cookie
Descrição
SERVERID
userBranchSymbol Data de validade: 2 de março de 2024
adobe_unique_id Data de validade: 1 de março de 2025
test_cookie Data de validade: 25 de janeiro de 2024
SESSID Data de validade: 2 de março de 2024
__hssc Data de validade: 8 de setembro de 2022
__cf_bm Data de validade: 8 de setembro de 2022
intercom-id-iojaybix Data de validade: 26 de novembro de 2024
intercom-session-iojaybix Data de validade: 8 de março de 2024

Usamos ferramentas que nos permitem analisar o uso da nossa página. Esses dados permitem-nos melhorar a experiência do utilizador do nosso serviço web.

Nome do cookie
Descrição
_gid Data de validade: 9 de setembro de 2022
_gaexp Data de validade: 3 de dezembro de 2022
_gat_UA-17135170-1 Data de validade: 8 de setembro de 2022
_gat_UA-121192761-1 Data de validade: 8 de setembro de 2022
_ga_CBPL72L2EC Data de validade: 1 de março de 2026
_ga Data de validade: 1 de março de 2026
__hstc Data de validade: 7 de março de 2023
__hssrc

Este grupo de cookies é usado para lhe mostrar anúncios sobre tópicos nos quais está interessado. Também nos permite monitorizar as nossas atividades de marketing e ajudar a medir o desempenho dos nossos anúncios.

Nome do cookie
Descrição
MUID Data de validade: 26 de março de 2025
_omappvp Data de validade: 11 de fevereiro de 2035
_omappvs Data de validade: 1 de março de 2024
_uetsid Data de validade: 2 de março de 2024
_uetvid Data de validade: 26 de março de 2025
_fbp Data de validade: 30 de maio de 2024
fr Data de validade: 7 de dezembro de 2022
_ttp Data de validade: 26 de março de 2025
_tt_enable_cookie Data de validade: 26 de março de 2025
_ttp Data de validade: 26 de março de 2025
hubspotutk Data de validade: 7 de março de 2023

Os cookies deste grupo armazenam as preferências que deu ao usar o site, para que elas já estejam configuaradas quando visitar a página depois de algum tempo.

Nome do cookie
Descrição

Esta página usa cookies. Os cookies são ficheiros armazenados no seu navegador e são usados ​​pela maioria dos sites para ajudar a personalizar a sua experiência na web. Para mais informações consulte o nosso Política de cookies

Alterar região e idioma
País de residência
Idioma