Mudanças no mercado dos semicondutores - China avança com novas restrições ❗

08:39 31 de julho de 2023

A guerra dos semicondutores continua, com os Estados Unidos e a China a superarem-se na introdução de restrições à exportação, visando principalmente os sectores das novas tecnologias dos dois países. A partir de 1 de agosto (ou seja, amanhã), entrarão em vigor na China novas restrições à exportação, que dificultarão o acesso aos elementos-chave do mercado dos semicondutores - o gálio e o germânio.

O que irá mudar?

Comece a investir hoje ou teste gratuitamente uma conta demo

Abrir Conta TESTAR A DEMO Download mobile app Download mobile app

De acordo com as novas recomendações do governo chinês, qualquer exportador destes elementos terá, a partir de agora, de obter uma aprovação comercial especial para o transporte destes elementos, incluindo pormenores sobre a outra parte na transação (utilizador final) e o destino da produção dos elementos.

Embora essas ligações comerciais continuem a ser possíveis, o acesso ao mercado de componentes-chave será significativamente prejudicado, o que poderá afetar as margens das empresas do sector e as próprias receitas.

O mercado mundial de semicondutores está a diversificar-se

O conflito comercial entre os EUA e a China tem implicações de grande alcance, uma das quais é a diversificação geográfica em curso do sector dos chips. 

Os Estados Unidos procuram agora encorajar os empresários a localizarem as suas empresas no seu território, com a introdução da lei CHIPS and Science Act, que traz cerca de 52 mil milhões de dólares para o mercado das pastilhas, dos quais 39 mil milhões serão um fundo para encorajar as empresas a concentrarem a inovação nos Estados Unidos. 

Na zona euro, foram igualmente introduzidos pacotes de incentivos à inovação neste domínio. No valor de 43 mil milhões de euros, espera-se que os incentivos aumentem a quota da UE no mercado dos semicondutores para 20% (até 2030). As restrições à exportação de gálio e germânio impostas pela China preocuparam a UE, que está agora a pressionar as empresas europeias a aumentar a produção de outros componentes, incluindo os relacionados com o alumínio e o zinco.

O que são o gálio e o germânio?

Fonte: Tellimer Research

Ambos os elementos são componentes-chave na produção de smartphones, computadores portáteis, painéis solares e infra-estruturas militares. O germânio tem sobretudo propriedades anti-radiação, o que o torna um componente importante para a indústria espacial. O elemento também apresenta uma boa condutividade eléctrica e térmica em circuitos integrados. O gálio, por sua vez, é utilizado em semicondutores de elevado consumo energético utilizados no sector das instalações LED, entre outros. 

Ambos os elementos são oficialmente reconhecidos na UE e nos EUA como elementos-chave para a produção global de chips. De acordo com os dados oficiais da CRMA, a China é responsável por 80% do fornecimento de gálio e 60% do fornecimento de germânio, respetivamente (na Europa, apenas uma instalação é capaz de produzir gálio com a pureza química adequada).

China continua a ser um player importante no setor

De acordo com a Associação da Indústria de Semicondutores, a China foi responsável por 180 mil milhões de dólares de encomendas no mercado de semicondutores no ano passado, ou seja, quase um terço do valor do comércio mundial de semicondutores (574,1 mil milhões de dólares). Novas restrições comerciais estão a afetar fortemente as empresas do sector que têm uma grande parte das suas receitas provenientes da China. Nos EUA, estas empresas são principalmente a Nvidia (NVDA.US), a Qualcomm (QCOM.US) e a Intel (INTC.US). Fonte: FactSet

Este material é uma comunicação de marketing na aceção do artigo 24.º, n.º 3, da Diretiva 2014/65 / UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 15 de maio de 2014, sobre os mercados de instrumentos financeiros e que altera a Diretiva 2002/92 / CE e Diretiva 2011/61/ UE (MiFID II). A comunicação de marketing não é uma recomendação de investimento ou informação que recomenda ou sugere uma estratégia de investimento na aceção do Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho de 16 de abril de 2014 sobre o abuso de mercado (regulamentação do abuso de mercado) e revogação da Diretiva 2003/6 / CE do Parlamento Europeu e do Conselho e das Diretivas da Comissão 2003/124 / CE, 2003/125 / CE e 2004/72 / CE e do Regulamento Delegado da Comissão (UE ) 2016/958 de 9 de março de 2016 que completa o Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho no que diz respeito às normas técnicas regulamentares para as disposições técnicas para a apresentação objetiva de recomendações de investimento, ou outras informações, recomendação ou sugestão de uma estratégia de investimento e para a divulgação de interesses particulares ou indicações de conflitos de interesse ou qualquer outro conselho, incluindo na área de consultoria de investimento, nos termos do Código dos Valores Mobiliários, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 486/99, de 13 de Novembro. A comunicação de marketing é elaborada com a máxima diligência, objetividade, apresenta os factos do conhecimento do autor na data da preparação e é desprovida de quaisquer elementos de avaliação. A comunicação de marketing é elaborada sem considerar as necessidades do cliente, a sua situação financeira individual e não apresenta qualquer estratégia de investimento de forma alguma. A comunicação de marketing não constitui uma oferta ou oferta de venda, subscrição, convite de compra, publicidade ou promoção de qualquer instrumento financeiro. A XTB, S.A. - Sucursal em Portugal não se responsabiliza por quaisquer ações ou omissões do cliente, em particular pela aquisição ou alienação de instrumentos financeiros. A XTB não aceitará a responsabilidade por qualquer perda ou dano, incluindo, sem limitação, qualquer perda que possa surgir direta ou indiretamente realizada com base nas informações contidas na presente comunicação comercial. Caso o comunicado de marketing contenha informações sobre quaisquer resultados relativos aos instrumentos financeiros nela indicados, estes não constituem qualquer garantia ou previsão de resultados futuros. O desempenho passado não é necessariamente indicativo de resultados futuros, e qualquer pessoa que atue com base nesta informação fá-lo inteiramente por sua conta e risco.

Partilhar:
Voltar
Xtb logo

Junte-se a mais de 935.000 investidores de todo o mundo

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 76% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.

Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido ao efeito de alavancagem. 76% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor. Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.